Margaret Mee, a artista botânica que inspirou a nova coleção

Margaret Mee, a artista botânica que inspirou a nova coleção

Nossa nova coleção, lançada há poucos dias, é inspirada na artista botânica Margaret Mee, que, entre outros ensinamentos, nos lembra o quanto a natureza é perfeita nela mesma. Além de ter sido uma artista incrível, Margaret foi extremamente corajosa, fez diversas expedições à Amazônia e foi uma das primeiras pessoas a denunciar o desmatamento das florestas, em plena época de ditadura militar no Brasil. Escolhemos este tema como um elogio ao seu legado que continua vivo e necessário, em tempos atuais de exploração e descaso com a natureza, especialmente com a floresta amazônica.

Imagem do filme "Margaret Mee e a Flor da Lua" de Malu de Martino.

 

Margaret era inglesa e veio ao Brasil cuidar de uma irmã doente, em São Paulo. Logo passou a pintar as flores e plantas da Mata Atlântica ainda existentes na cidade. Ela lecionou no Instituto de Botânica da USP, mas decidiu fixar moradia no bairro de Santa Teresa no Rio de Janeiro. Conheceu Roberto Burle Marx e contribuiu muito no projeto do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Margaret Mee e Roberto Burle Marx. 

O rumo de sua vida mudou aos 47 anos, quando realizou a sua primeira expedição à Amazônia. Apaixonou-se tão profundamente pela natureza que retornou mais 14 vezes, de 1956 a 1988. Passou a desenhar as flores amazônicas, o que a tornou conhecida internacionalmente.


Em suas expedições, por vezes, contava com a ajuda de guias, índios e amigos. Conheceu os rios Negro, Vaupés e Amazonas. Como dizia Miss Mee: “ A natureza é a arte”. Era uma pessoa muito conectada com a natureza, não matava uma mosca, era determinada e capaz de acampar sozinha na Amazônia por vários dias. O documentário “Margaret Mee e a Flor da Lua” de Malu de Martino tem registros lindos de expedições e nos apresenta a forte e doce figura que foi Margaret Mee. O fio condutor do filme é a busca pela Flor da Lua, mas esse é o tema do nosso próximo post.

 

Imagem do filme "Margaret Mee e a Flor da Lua" de Malu de Martino. 

“Sei que minha morte não significará o fim do meu trabalho. Onde quer que eu esteja, tentarei influenciar aqueles que estão destruindo o planeta para que dêem à natureza uma chance de sobreviver." 
Margaret Mee

 



Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.