Coleção Vaso Grego



A coleção Vaso é, entre outras coisas, sobre a importância de preservarmos a cultura e a nossa história e um convite para refletirmos sobre o que o olhar para civilizações antigas pode nos ensinar sobre nós mesmos e sobre os desafios da sociedade atual.

Em tempos em que as políticas públicas atuais não valorizam o movimento cultural do passado e do presente, em que vivemos grandes perdas, como o incêndio do Museu Nacional no Rio de Janeiro, que continha muito da história da humanidade, trazemos essa reflexão sobre preservar a história e valorizar a cultura, bem como sobre o desconhecemos da história dos povos que formaram o Brasil e do recorte sociocultural na história que nos foi contada.

Para essa coleção, fizemos um recorte na Grécia antiga, civilização considerada o berço da cultura ocidental, das quais ainda temos registros que nos permitem conhecer um pouco de sua complexa história. Um desses registros são os vasos, que através das pinturas em suas superfícies, ilustravam mitos e fatos daquela sociedade. Naquela época, a escrita ainda estava nascendo, por isso, além das funções práticas como servir vinho e carregar as cinzas de alguém, os vasos também eram vistos como objetos usados para comunicação.                                              

Pesquisamos diversos mitos da Grécia Antiga e nos aprofundamos em alguns deles para criar a coleção Vaso Grego, que será contada em dois capítulos. Nessa viagem, te convidamos para se perder no labirinto do Minotauro e colar fragmentos de vasos quebrados, reconstruindo pedaços da história.



O Labirinto

Se perder, trilhar, sem medo do engano, os possíveis caminhos que se colocam à nossa frente, e em cada um deles enxergar muitas possibilidades de aprendizado e crescimento. Existe caminho certo?

Às vezes, a trilha é mais longa que o esperado. Distrações, adversidades, tudo pode acontecer nessa caminhada.

No labirinto da vida, em que o objetivo é ir ao encontro de nós mesmos, da essência e humanidade que existe em cada um de nós, como diria Cortázar,“...só há um meio para matar os monstros: aceitá-los”.

Não importa o tempo que leve, apenas permita-se entrar no labirinto. Você com certeza não será o mesmo, mas sairá dele mais completo, com a sua melhor parte.


______

Fotos: Caio Ramalho
Assistente de foto: Karla Brights + Felipa Damasco
Modelo: Roza Figueira
Beleza: Lucas Lisboa
Produção: Raquel Midori , Beatriz Tavares, Dayane Santos e Lais Abbate
Styling: Débora Lima e Nathália Miranda
Sapatos: Escudero
Agradecimentos: Maria Luiza Corrêa e Escudero